Governo do Maranhão

Governo do Maranhão

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Polícia Civil deflagra megaoperação contra pedofilia em todo o estado



A Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI), por meio das 18 delegacias regionais, deflagrou, na manhã desta quinta-feira (18), a operação “Inocência Roubada”, que foi realizada em todo o interior do estado do Maranhão e foi finalizada por volta das 17h. Ao todo, foram cumpridos 19 mandados de prisão e realizada uma prisão em flagrante.
“A operação tem por objetivo principal repreender crimes de pedofilia e violência sexual contra crianças e adolescentes, quando pedófilos as atraem com promessas, utilizando tanto objetos, como dinheiro. Estes mandados de prisão foram representados pelos delegados de polícia em todo o interior do estado do Maranhão”, afirmou o superintendente de Polícia Civil do Interior, Dicival Gonçalves. 
Durante a realização da operação, a polícia prendeu, por estupro de vulnerável, Sebastião Santos da Silva, Francisco José Moreira Lima, Antônio Mariano Pinheiro Lisboa, Antônio Cardoso Pereira, Miguel Alves de Sousa, Jailson Lima da Silva, Kerlis Pereira Costa, Carlos Alberto Maciel Sousa, César Moreira, Diomar de Jesus Aroucha Filho, Jean Charles da Silva, Joaquim de Sousa Lima, Amarílio da Silva Assunção e José Ferreira da Silva.
 Mais prisões
Além do cumprimento de mandados de prisão por estupro de vulnerável, foram presos Jean da Conceição e Thiago Fernandes Abreu Correa, pelo crime de roubo; Gilberto Soares de Oliveira por fornecimento de bebida alcoólica a menores; José Oliveira da Silva por tráfico de drogas, receptação e assalto; Alexandro Farias Feitosa, pelo crime de violência doméstica; Francisco de Assis Carvalho da Silva, em cumprimento a Lei da Penha.
O processo de planejamento da operação foi iniciado há meses e visou cumprir mandados de prisão expedidos pela justiça. “Decretada à prisão preventiva, foi feito um planejamento que durou três meses para deflagrar a operação. Dos mais de 30 mandados de prisão, 20 destes mandados foram cumpridos e realizada um prisão em flagrante. O resultado foi muito satisfatório.” concluiu o superintendente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.