quinta-feira, 14 de julho de 2016

PF deflagra operação contra extração ilegal de madeira no Maranhão e Rio Grande do Norde




Globo

A polícia federal realiza na manhã desta quinta-feira uma operação, batizada de “Hymenaea”, com o objetivo de combater a extração e comercialização ilegal de madeira prevenientes da Terra Indígena Caru e da Reserva Biológica do Gurupi, no Maranhão. Em agosto de 2013, reportagem da colunista do GLOBO Míriam Leitão e do fotojornalista Sebastião Salgado mostrou que a extração de maneira na região ameaça os Awá, um dos últimos povos indígenas apenas caçadores e coletores, que vive no que resta da Floresta Amazônica no estado.

Ao todo, foram expedidas 77 medidas judicais, das quais 11 são mandados de prisão preventiva, 10 mandados de prisão temporária e 56 mandados de busca e apreensão. Também foi suspensa a certificação de 44 empresas brasileiras. O nome da operação faz referência a uma das espécies exploradas ilegalmente na região.

De acordo com a PF, a organização fazia a extração nas reservas indígenas por meio de documentação fraudulenta, que garantia o transporte e retirada de madeira das áreas protegidas. Um dos membros da quadrilha era responsável por emitir os documentos destinados a microempresas laranjas cadastradas como construtoras no Rio Grande do Norte. O grupo teria movimentado R$ 60 milhões com a atividade.

Foram sequestrados mais de R$ 12 milhões de pessoas físicas e jurídicas envolvidas, preveniente de lavagem de dinheiro associada à extração. Os investigados responderão por participação em organização criminosa, lavagem de capitais, roubo de bens, desmatamento na Terra índígena Caru e Reserva Biológica do Gurupi, entre outros crimes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.