quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Governador Flávio Dino acompanha Desfile da Independência em São Luís




Patriotismo, cidadania, orgulho. Sentimentos que tomaram os corações das milhares de pessoas que participaram do Desfile da Independência, na manhã desta quarta-feira (7), na Avenida Vitorino Freire, Areinha. Organizado pela Forças Armadas, por meio do 24º Batalhão de Infantaria Leve (BIL), com apoio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), o desfile reuniu militares, estudantes e a população, demonstrando o entusiasmo em reverenciar a Pátria neste grande ato cívico. Quem desfilou, levou para a avenida a história e feitos heroicos homenageando as Forças Nacionais em um espetáculo prestigiado por mais de 15 mil pessoas.

O momento foi de união e respeito pelo Brasil em lembrança justa aos partícipes da Independência, pontuou o governador Flávio Dino, que se fez presente no ato. Ele destacou que o evento representa a homenagem àqueles que lutaram e continuam a lutar pela grandeza do nosso país e pela soberania nacional. “É um momento em que mobilizamos a sociedade para o desfile militar celebrando os símbolos nacionais por amor ao país e àqueles que fazem o Brasil. Minha presença aqui representando o nosso Estado, o poder civil e a sociedade é para prestar essa homenagem aos que fizeram a Pátria ontem e que continuarão fazendo hoje. É uma tradição muito importante para o país e para o nosso Estado”, enfatizou o governador do Maranhão.

Para o secretário de Estado da Segurança Pública (SSP-MA), Jefferson Portela, o desfile tem uma importância histórica e de esperança aos que constroem a história do país todos os dias. “Neste ato comemoramos juntos, Forças Armadas, autoridades e sociedade, a independência que trouxe a marca dos que queriam um país livre e desenvolvido com uma realidade melhor para todos”, enfatizou Portela.

Nos alegra a reunião nesta data histórica e importante, e, ao estarmos juntos à sociedade, vemos a integração das instituições e o que ela proporciona à população nesta grande festa”, destacou o Comandante do 24º Batalhão de Caçadores do Exército, tenente coronel Carlos Frederico de Azevedo Pires. Foram 400 militares, 12 viaturas e a Banda de Música da instituição abrindo o desfile da Independência. Na passagem, o comandante cumprimentou veteranos de guerra e saudou o público.

Da rede estadual participaram do desfile cerca de 700 alunos do Colégio Militar Tiradentes, além de 267 alunos do Colégio Militar 2 de Julho e 50 estudantes da escola Salustiano Trindade. Policiais Militares e do Corpo de Bombeiros também marcaram presença no tradicional desfile. Alunos da Escolinha de Música Dó Ré Mi, criada na gestão Flávio Dino, abriu a participação dos estudantes no ato cívico. Integrando a Polícia Militar do Maranhão, a unidade possui 110 alunos e funciona no Comando Geral da PM, no Calhau. São atendidas crianças e jovens carentes da capital de bairros como Ilhinha, São Francisco, Anjo da Guarda, Liberdade, Bequimão, Cidade Operária, Cidade Olímpica e Maiobão.

Carlos Augusto, 14 anos, morador do Bequimão e aluno da unidade, estava emocionado com a oportunidade de fazer parte da escolinha e representar a pátria no evento cívico. “Estou gostando muito de seguir o regimento militar onde aprendemos a ser um bom cidadão. Esse é um começo para um futuro melhor que posso ter na música ou em outra oportunidade, com a participação nesse grupo”, disse o jovem. Funcionando há cinco meses, a escola tem como meta formar profissionais na música em vários instrumentos, incluindo cordas e sopro e retirá-los de situações de risco.

Aluna do Colégio Militar Tiradentes, a estudante Nayara Raquel, 16 anos, está em seu quinto desfile, mas a emoção é sempre igual à primeira vez. “Estar aqui é confirmar o amor à pátria e honrar nosso país. É uma das ocasiões mais especiais e onde todos os núcleos da sociedade se reúnem. É um evento muito bonito e emocionante e faço sempre questão de participar”, relatou. Os pais e mães acompanharam os filhos que desfilavam e fizeram questão de registrar esse momento único da soberania nacional.

Foi o caso do funcionário Público Ederaldo Cerqueira, pai de Irlana, de 14 anos. Para ele, o orgulho resume o momento. “Para mim não tem preço. Muito gratificante e emocionante ver minha filha e não poderia deixar de fazer parte neste momento”, disse ele, que durante seis anos serviu o Exército e participou dos desfiles. Para a filha Irlana, que desfilava pela primeira vez, “foi uma experiência maravilhosa poder estar junto das pessoas que fazem a soberania do nosso país e vou participar todos os anos que puder”.

A operadora de Telemarketing, Aurilene Soares, compareceu com a filha Sofia, de seis anos, para relembrar o momento vivido por ela quando criança. “Quis continuar uma tradição e trazer ela para conhecer. Acho mesmo interessante ver nossas Forças de Segurança, o que o país proporciona para nós nesta área, e acho também muito bonito. Sei que ela também vai gostar”, disse. Aurilene relatou que costumava assistir aos desfiles com o pai, quando ainda era criança. A pequena Maria Luiza, de sete anos, é filha de militar e sempre se faz presente no desfile. “Gosto de ver as pessoas marchando e foi nossa Independência. Acho muito bonito”.

Ato cívico-militar

O desfile teve início às 8h, com o hasteamento das bandeiras do Brasil, do Maranhão e de São Luís marcando o início do ato. Acompanhadas pela Banda Marcial da Polícia Militar, bandas municipais e estaduais, as escolas entraram na avenida desfilando temas ligados à história das Forças Armadas e das instituições ao longo dos tempos. Os estudantes traziam faixas e cartazes com mensagens alusivas à pátria e importância do ensino. A marcha dos militares e dos estudantes foram, passo a passo, tomando a avenida e levando emoção ao público. As cores vibrantes das fardas e o tom solene misturado à batida forte dos tambores animaram quem foi prestigiar o momento.

Um espetáculo que merece ser visto todos os anos. É o que pensa a dona de casa Marcelina de Jesus Pereira, 56 anos. Há mais de dez anos Marcelina acompanha os desfiles. Este ano levou a neta Suzanne, de oito anos. “Acho muito bonito, importante. Não é só um desfile. É emocionante ver os alunos desfilando”, diz ela. Para a professora Maria Antonieta Resende, 35 anos, o momento é único. “Nossa população merece este momento e nossas polícias, a homenagem”, disse. Por ocasião do desfile, o trânsito foi alterado com interdição em ruas e avenidas próximas.

Histórico

De acordo com o Arquivo Histórico do Exército, as comemorações do Dia da Pátria começaram no século XIX. A data perdeu destaque no período de Regência (1831 a 1840) e voltou a recuperar a importância histórica com a declaração de maioridade de Dom Pedro II, em 1840. Nacionalmente, o principal desfile ocorria no Rio de Janeiro, então capital do País. Depois, com a fundação de Brasília, passou pelo Eixo Rodoviário, pelo Setor Militar Urbano (SMU) até que, em 2003, foi para o local onde ocorre, atualmente, a Esplanada dos Ministérios. Anualmente, milhares de pessoas se reúnem em avenidas na maioria dos municípios do Brasil para celebrar a Independência do País, comemorada neste 7 de setembro com desfiles cívico-militares. Neste ano, está sendo celebrado o 194º ano da independência do Brasil de Portugal, declarada em 1822.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.