terça-feira, 20 de setembro de 2016

Governo do Estado leva projeto ‘Farmácia Viva’ a municípios com menor IDH




O consumo de remédios à base de ervas e plantas medicinais é prática comum em 80% da população mundial, segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Ministério da Saúde, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), divulgou uma lista com 71 plantas medicinais, que auxiliam e combatem diversas doenças que acometem nossa população. Na última sexta-feira (16), profissionais da Força Estadual de Saúde (FESMA) receberam treinamento sobre fitoterapia e formas de aplicá-la nos municípios com menor IDH.

Farmacêuticos do projeto ‘Farmácia Viva’, coordenado pela Universidade Federal do Maranhão (Ufma), ministraram o treinamento com o objetivo de disseminar os conhecimentos fitoterápicos para o tratamento de diversas doenças.

Mais de dez profissionais de Farmácia e Nutrição participaram do treinamento, dividido em dois módulos: teoria com introdução a Fitoterapia e prática com produção de xaropes, pomadas, tinturas, loções e shampoos. Cada farmacêutico da Fesma vai levar o que aprendeu na sala de aula para as comunidades, promovendo uma série de benefícios para a saúde humana, como o combate a doenças infecciosas, disfunções metabólicas, doenças alérgicas e traumas diversos.

Kaline Bezerra, coordenadora do projeto ‘Farmácia Viva’, explica a importância de profissionais da Fesma possuírem conhecimentos em fitoterapia. “A turma de farmacêuticos que compõe a Força de Saúde percorre vários municípios, e, na maioria das vezes, desconhecem a efetividade do tratamento fitoterápico, portanto, ter um profissional ciente dos benefícios da fitoterapia é de grande valia para um a comunidade”, comentou.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.