Governo do Maranhão

Governo do Maranhão

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Governo do estado beneficia agricultores familiares com equipamentos que evita queimadas na produção agrícola



O governo do estado por meio da Secretaria de estado da Agricultura Familiar (SAF), trabalha fortemente com suas articuladas (Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural - Agerp e Instituto de Colonização e Terras do Maranhão- Iterma), para atender as necessidades dos agricultores familiares dos Estado do Maranhão e evitar as queimadas, muito usadas para a produção agrícola e que recentemente assolaram comunidades da região leste do Maranhão.

Neste sábado, 22, equipe do sistema SAF acompanhou a limpeza da área de produção, no assentamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Cristina Alves, no município de Itapecuru Mirim, com equipamentos doados pela SAF. A patrulha com implementos agrícolas e o triturador de capoeira foram entregues no mês de maio à comunidade. Neste sábado as famílias puderam limpar um hectare (1ha) para produção agrícola sem uso de queimadas. O assentamento tem 100 famílias e o local possui 4.700 hectares de terra e é originário de um latifúndio desapropriado há nove anos.

Com foco para agricultura familiar, o triturador de capoeira é um equipamento preso a um trator de rodas, que tritura a vegetação conhecida como capoeira e que após este processo, fertiliza o solo com os resíduos orgânicos, promovendo o aumento da produtividade na propriedade e impedindo a emissão de carbono, substituindo também o uso do fogo, tradicionalmente utilizados pelas famílias rurais no preparo do solo e abertura de novas áreas agrícolas.

Com o triturador os agricultores poderão evitar os impactos negativos das queimadas no meio ambiente, ampliar a flexibilidade do período de plantio, além de melhorar as condições físicas, químicas e biológicas do solo. A grande novidade é que o Governo Flávio Dino vai incorporar esse equipamento nas patrulhas mecanizadas, e os agricultores familiares vão passar a demandar o uso do equipamento, com apoio do Sistema SAF e instruções fornecidas pela Embrapa”, explicou Rogério Sales, superintendente de Organização Produtiva da SAF. O superintendente informou ainda que a SAF irá entregar a patrulha com implementos agrícolas e o triturador para agricultores no município de Turiaçu no mês de novembro e tem mais cinco em licitação para ser entregues nas Regionais da Agerp.

Pesquisa

Após a limpeza, a área será usada como experimento e pesquisa da Embrapa Cocais que irá validar sistema de manejo com a produção de milho com adubação verde, rotacionando com feijão caupi com fixação biológica de nitrogênio. “Esse tipo de produção é bastante produtiva. Para se ter uma ideia do ganho desse tipo de produção, é o cultivo do milho que tem produção média no maranhão em torno de 800 kg por hectare, com essa tecnologia podemos levar essa produtividade para 3 mil kg por hectare”, informou o chefe de pesquisa da Embrapa Cocais, Carlos Freitas. Além da demonstração da limpeza da área de produção os agricultores tiveram oficina com o tema: Capacitação de Manejo e conservação de solo e mecanização agrícola.

O projeto para soluções de plantio direto com manejo de capoeira foi iniciado há 10 anos pela Embrapa Amazônia Oriental, com apoio da Embrapa Cocais, e agora ganha um grande incentivo com a proposta de parceria com o Governo do Estado, por meio do Sistema SAF.

A patrulha agrícola que recebemos é multifuncional, faz o preparo inicial do solo, aradagem e gradagem. Agora temos a possibilidade de plantarmos mais e mantermos a fertilidade do solo, respeitando as características de cada localidade, como o solo de Itapecuru, que é arenoso e dependente de matéria orgânica para reestruturação. Com a parceria da SAF e da Embrapa queremos melhorar nosso sistema de produção e usar uma agricultura sem queimadas”, pontuou o coordenador do MST, Elias Araújo.

Os equipamentos agrícolas vai trazer mais progresso para a nossa comunidade, aumentando nosso volume de produção, além, é claro, de diminuir o trabalho braçal do nosso agricultor. É um momento histórico para nós do movimento”, explicou Gilzane da Silva, presidente da Cooperativa Mista das Áreas de Reforma Agrária do Vale do Itapecuru (Coopevi), que tem 89 agricultores cooperados e é situado na comunidade Cristina Alves.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.