Governo do Maranhão

Governo do Maranhão
Envie informações,denúncias para: vauney-10@hotmail.com ,(99) 9 8137 5569 / 91793374 ou 8416 7976, sua informação será analisada e depois poderá se tornar matéria.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Alimentação de qualidade e acessível é garantida para famílias carentes no Maranhão




Garantia de alimento de qualidade a baixo custo e acesso facilitado a quem necessita. Essas são características dos programas do Governo do Maranhão na área da segurança alimentar e que têm feito a diferença para milhares de comunidades atendidas em todo o estado. O conjunto de ações favorece a inclusão socioprodutiva, a ampliação da renda das famílias, o direito humano à alimentação adequada e acesso a importantes serviços.

Nós estamos trabalhando com muito empenho e seriedade para que as famílias que mais necessitam de ajuda tenham os seus direitos essenciais atendidos, e o direito a uma alimentação de qualidade e com dignidade é um deles. Nós fazemos um governo para o povo e não vamos descansar para garantir um estado com mais justiça social e oportunidade para todos”, afirmou o governador Flávio Dino.

Os restaurantes populares, as cozinhas comunitárias, os programas ‘Mais Renda’ e o ‘Programa de Aquisição de Alimentos - PAA Leite’ são algumas das ações realizadas pela gestão estadual para redução das desigualdades e promoção de mais justiça social no Maranhão. Com o programa ‘Mais Renda’, famílias em situação de vulnerabilidade estão sendo orientadas sobre inclusão produtiva e inseridas em pequenos empreendimentos, saindo da informalidade e recebendo capacitação. Este 2016, o programa atendeu 400 famílias na Região Metropolitana de São Luís.

Para Flávia de Melo Pacheco, 27 anos, moradora do bairro Mauro Fecury, a ação é muito importante para quem quer organizar seu empreendimento. “Eu trabalho há mais de um ano na venda de cachorro-quente e macarronada, mas nunca tinha pensado no controle do dinheiro que entra e que sai. Fui orientada no programa e aprendi a me organizar para que o negócio se desenvolva”, avaliou a pequena empreendedora.

Também estão incluídos no ‘Mais Renda microempreendedores dos municípios de Timon, São Mateus, Caxias, Imperatriz, Açailândia, Codó, Araioses, Santo Amaro, Primeira Cruz e de Água Doce. Em 2017, serão contemplados mais de 1.350 trabalhadores que atuam na venda informal de alimentos e no ramo da beleza.

Com a gestão realizada pelo governador Flávio Dino, a rede de Restaurantes Populares foi ampliada e passou de seis para 13 unidades. São sete restaurantes na capital, já em pleno funcionamento, e seis nos municípios de Zé Doca, Chapadinha, Pedreiras, Lago da Pedra, Grajaú e Açailândia. Juntas, as unidades fornecem, diariamente, de segunda à sexta-feira, mais de 13 mil refeições balanceadas pelo valor simbólico de R$ 2.

Em sua primeira visita ao restaurante popular, no São Francisco, a operadora de caixa Carolina Gusmão se surpreendeu com os serviços. “Minhas amigas sempre convidavam para almoçar aqui. Fiquei surpresa com a estrutura, a qualidade da comida e o custo benefício. O ambiente é climatizado, organizado, somos tratados muito bem, e a equipe sempre pergunta se estamos gostando. Eu adorei, o Governo do Estado está de parabéns”, reiterou.

São servidas, em média, 1000 a 1350 refeições por dia no almoço, e algumas unidades, mais 550 no jantar. Os restaurantes populares são utilizados, ainda, para realização de cursos e consultas com nutricionista. A meta da gestão é construir mais 43 destes equipamentos. “Com estes equipamentos, o Governo do Estado expande a política de segurança alimentar e nutricional para mais municípios maranhenses”, ressaltou o secretário de Estado e Desenvolvimento Social (Sedes), Neto Evangelista.

Outro equipamento que se soma à ação dos Restaurantes Populares são as Cozinhas Comunitárias. Mais 30 destes espaços serão construídos nos municípios incluídos no Plano de Ações ‘Mais IDH’, sendo que sete processos licitatórios já estão em curso no valor de R$ 5,2 milhões. As cozinhas funcionam de segunda a sexta-feira, das 11h às 13h30, com capacidade para fornecer de 200 a 500 refeições por dia, gratuitamente. As refeições são feitas a partir de ingredientes produzidos por pequenos agricultores.

Leite na mesa de quem necessita e sem custo é o foco do Programa de Aquisição de Alimentos – PAA Leite, ação do governo que contribui na alimentação de famílias em vulnerabilidade alimentar. Outro viés do PAA Leite é o incentivo à produção dos pequenos agricultores e fortalecimento deste setor nas localidades. A média é de 1.200 litros produzidos nas comunidades. Na lista de cidades já contempladas estão Timbiras, São Mateus, Alto Alegre, Peritoró, Coroatá, Codó e Santo Antônio dos Lopes. Cada família tem direito a até cinco litros do produto, dependendo do número de filhos.

A Casa de Idosos São Pio, no município de Codó, recebe cerca de 60 litros de leite por semana. Responsável pela Casa, o irmão William Campos disse que o leite é essencial na alimentação diária dos idosos atendidos no local. “Nossa obra é sustentada por doações. A saúde dos nossos irmãos idosos depende dos alimentos doados, e é com muita alegria que recebemos o leite direcionado a eles”, disse.

Com o programa ‘Diques de Produção’, executado pela Sedes, o Governo do Maranhão apoia os municípios da Baixada no desenvolvimento da agropecuária nas áreas de igarapé. Os diques têm uma dupla função: servir como contenção da água salgada e garantir armazenamento de água das chuvas para os cultivos ao longo de todo o ano.

São beneficiadas com os ‘Diques de Produção’ associações de classe, cooperativas e sindicatos de 35 municípios, que também têm acesso a assistência técnica. O Governo do Maranhão investiu R$ 15 milhões para desenvolver atividades na piscicultura, horticultura, plantio de arroz e de hortaliças e criação de animais de pequeno e médio porte.

     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.