sexta-feira, 14 de julho de 2017

Brasileirão deu zebra para donos de máquinas de apostas, que quebraram após a 13ª rodada do campeonato




A 13ª rodada do Campeonato Brasileiro deixou muitos torcedores e apostadores felizes, porém muitos donos de bancas (máquinas) de jogos arrasados.


Após os jogos de quarta-feira (12), começaram a circular nas redes sociais fotos de cartões vitoriosos de apostas acumuladas, aquelas em que o apostador marca vários possíveis resultados e só ganha o dinheiro se todos eles acontecerem como previsto. A improvável combinação das cotações de todos os visitantes pagava entre mil e 2.200 vezes o valor apostado, mas foi o que aconteceu: Bahia, Santos, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro e Vasco venceram.



Atlético (MG) 0 x 1 Santos; 
Ponte Preta 0 x 3 Bahia; 
Fluminense 0 x 1 Botafogo; 
Palmeiras 0 x 2 Corinthians; 
Atlético (PR) 0 x 2 Cruzeiro; e 
Vitória 1 X 4 Vasco.


O que até então era felicidade, se encaminha para frustração. Isso porque donos de sites e máquinas de apostas estão alegando impossibilidade de pagar os ganhadores em razão dos altos valores. 



Só no Maranhão, são milhares de ganhadores, que jogaram na ´´zebra`` e se deram bem, além de muitos acertarem os placares. O jogo, que mesmo sendo proibido no Brasil, viralizou no Nordeste, estava rendendo um bom dinheiro para donos de bancas.



Alguns donos de bancas, como o BestSport7, que deve R$ 33.103.000,23 ( trinta e três milhões, cento e três mil e vinte e três centavos), alegaram, por meio de notas divulgadas nas redes sociais, incapacidade financeira para pagar os apostadores.



Assim, os ganhadores podem ficar ´´a ver navios``, pois como o jogo não é legalizado, ficam impossibilitados de recorrer na Justiça. 



Já outros donos de bancas, como a Chute Certo, pedem paciência e garantem que vão honram os débitos.



Os cambistas também estão aperreados, já que eles é que estão sendo cobrados pelos ganhadores. 


Confira, abaixo, a íntegra da nota emitida pela Chute Certo:
Vimos por meio deste comunicado informar a todos os nossos cambistas, supervisores, jogadores e colaboradores em geral que, diante do grandioso volume de ganhadores, torna-se inviável o pagamento total neste primeiro momento. Entretanto, a Chute Certo assume, desde já, o compromisso de honrar todos os débitos na condição de parcelamento, iniciando com 10% (dez por cento) do valor do prêmio, com todos os valores sendo quitados em dez vezes.
Assim sendo, pedimos a compreensão de todos, ao tempo em que garantimos nosso desejo de cumprir tudo o que aqui é apresentado, sem prejuízo das atividades esportivas da Chute Certo.
Valor devido por cada banca





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.