Governo do Maranhão

Governo do Maranhão

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Governo do Maranhão cumpre agenda na China e avança nos debates sobre empreendimentos no estado





O vice-governador Carlos Brandão está em Pequim, na China, desde quinta-feira (31), coordenando uma comitiva de maranhense que cumpre, até o início da próxima semana, agenda de trabalho com setores públicos e empresarias com o objetivo de consolidar novos investimentos no Maranhão. Os secretários estaduais Pierre Januário (Programas Especiais) e Simplício Araújo (Indústria e Comércio) integram a comitiva.

Os representantes do governo maranhense participam de debates voltados para empreendimentos que podem incrementar o desenvolvimento do estado. Um exemplo é o ‘Brazil + China Challenge 2017’, evento que reúne pensadores como o senador Cristovam Buarque; o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio; o ex-secretário nacional de Justiça, Beto Vasconcelos, dentre outras personalidades brasileiras e chinesas.

Em pauta, discussões envolvendo governança, mobilidade urbana, desafios estruturais e demais temas contemporâneos que podem garantir transformações essenciais nos países participantes das discussões. O Maranhão foi convidado a fazer parte dos debates coletivos e deve dar a sua contribuição até o último dia do evento. Paralelamente, a comitiva maranhense também tem cumprido compromissos que dizem respeito a novos investimentos para os ramos da siderurgia e da refinaria-petroquímica.

Agenda

No primeiro dia em Pequim, os maranhenses conversaram com membros da ‘New Development Bank’, da China Huanqiu Contracting & Engineering Co., Ltd. (HQC) e do grupo Sinopec. Todas as conversações tiveram como pano de fundo a cooptação de investidores e fontes de recursos para grandes empreendimentos no Maranhão. Algumas destas agendas contaram, também, com a presença do deputado federal José Reinaldo Tavares e de membros da empresa do ramo da siderurgia que deve se instalar em nosso estado, a CBSteel.

Um dos debates mais importantes envolvendo o Maranhão, sempre realizados sob a coordenação do vice-governador Carlos Brandão, foi sobre a refinaria-petroquímica que está, agora, em fase final de escolha de um parceiro tecnológico e operacional. Nos bastidores, existe uma forte disputa entre a Índia e a China. Os indianos estiveram pelo menos duas vezes no Maranhão e expressaram o mais forte interesse em assumir o comando da instalação da refinaria-petroquímica. Atualmente, são pelo menos quatro grupos distintos da Índia que vem trabalhando há mais de um ano em toda a parte técnica, inclusive tendo completado estudos e apresentado propostas.

A China, no momento, está à frente das propostas de investimentos com as melhores soluções. Em especial, por conta dos amplos debates que realiza com gestores do Maranhão, além da afinidade política que existe entre os governos, agora assumindo contornos mais definitivos. O vice-governador Carlos Brandão e os secretários de Estado estiveram com as duas mais importantes empresas da China (Sinopec e HQC), as únicas duas em todo o mundo capazes de realizar, sozinhas, a engenharia, a construção, a fabricação dos equipamentos e a operação de uma refinaria-petroquímica.

De acordo com o vice-governador Carlos Brandão, a Sinopec é a alternativa mais consistente, no momento. “Trata-se da maior empresa chinesa em faturamento, a maior empresa de petróleo do mundo também em faturamento, atingindo 283,6 bilhões de dólares anuais. É a maior empresa verticalmente integrada de refino e petroquímico do globo, incluindo no mesmo grupo de tecnologias de refino e petroquímica, engenharia de refino e petroquímica, construção de refinarias e petroquímicas, equipamentos para refinarias e petroquímicas bem como operações de plantas de refinarias e petroquímicas”, pontuou, otimista, o vice-governador. Contudo, ele afirmou que as portas não estão fechadas e as discussões seguem democraticamente.

O secretário Simplício Araújo lembrou que a Sinopec foi a empresa internacional com grandes investimentos no Brasil, tendo aportado mais de 12 bilhões de doláres em apenas dois investimentos no setor de upstream (parte da cadeia produtiva que antecede o refino). “Vale notar que a Sinopec é a empresa chinesa com maior presença no Irã, parte essencial da refinaria-petroquímica que deve protagonizar estadia no Maranhão”.

O vice-governador tem recebido o interesse de outras empresas de regiões como o Oriente Médio, Europa e também dos Estados Unidos. Porém, atualmente, o grande foco é definir entre a Índia e a China, campeãs na expertise voltadas para estes setores de desenvolvimento. Pequim, capital da China, tem sido o palco das negociações durante a passagem da comitiva maranhense no país asiático, durante o evento ‘Invest in Brazil’. O alto nível das negociações inclui o aval do presidente Michel Temer e do presidente Xi Jinping para novos investimentos entre Brasil e China. O Maranhão está entre os onze grandes projetos encarados como prioritários para ambas as nações.

No momento, o Maranhão desponta como o estado brasileiro que mais atrai o olhar de renomados investidores. Para o secretário de Programas Especiais, Pierre Januário, esse fato reflete o esforço do governo maranhense em sanar questões que geralmente empacaram as chegadas de empreendimentos expressivos ao estado, ao longo da história, como é o caso de questões vinculadas ao meio ambiente, tributos, infraestrutura e política comercial.

Estamos empenhados em viabilizar todo o apoio aos investidores para que possam transitar da melhor forma possível para dialogar com o Governo do Maranhão e realizar os seus projetos com toda prioridade e excelência que eles exigirem”, reforçou o secretário de Programas Especiais. A comitiva maranhense liderada pelo vice-governador Carlos Brandão participará da cerimônia de assinatura de atos, prevista para este sábado (2), que compreenderá a Lei de Incentivos Fiscais à CBSteel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.