quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Projetos diferentes: alianças trincadas na oposição em Marajá do Sena



superintendente Mávio Rocha, Edivan Costa, secretário Márcio Jerry e Luís Abreu

A aliança das oposições em Marajá do Sena pode ter chegado ao fim. O prazo de validade esgotou antes mesmo das eleições de 2018. 

Agora, os líderes, ex-prefeitos Edivan Costa e Luís Abreu, que caminharam juntos em um projeto em 2016, seguirão caminhos diferentes.

Nas eleições de 2016, os grupos liderados pelos os ex-prefeitos, até então rivais, se uniram e lançaram Tetê, esposa de Luís Abreu, candidata a prefeita pelo PCdoB. Tetê não conseguiu se eleger.

Após as eleições municipais, os líderes se mostraram consistentes, aliados do governador Flávio Dino.

Nesta semana, quando sentaram para fechar acordo com relação aos candidatos a deputado estadual e federal que irão apoiar, os ex-prefeitos não chegaram a um entendimento. 

Enquanto Luís Abreu reconhece o empenho do superintendente Mávio Rocha e do secretário de Articulação Política, Márcio Jerry, que têm viabilizado ações para Marajá do Sena, pré-candidatos a deputado estadual e federal, respectivamente, Edivan Costa vai apoiar o deputado federal Juscelino Filho, que é um dos nomes maranhenses ´´incluídos na listra negra``  dos eleitores, por apoiar  Temer, e Stênio Rezende para estadual.

A decisão de Edivan, acabou também com as pretensões de Márcio Coutinho em Marajá do Sena. O pré-candidato a deputado federal tinha um fio de esperança de receber o apoio do ex-prefeito. 

A falta de consenso indica a ruptura. As decisões de agora, vão refletir  nas  eleições municipais de 2020. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.