quarta-feira, 19 de junho de 2019

Com 1.300 apresentações, começa nesta quarta-feira (19) o maior São João do Brasil


Governador Flávio Dino vistoria Arraial do Ipem e Vila Cultural (Foto: Gilson Teixeira)

Mais de 400 artistas e grupos. Cerca de 1.300 apresentações. É assim, com muita diversidade, incluindo atrações maranhenses e de outros Estados, que o São João do Maranhão começa nesta quarta-feira (19), em São Luís. É uma variedade que faz deste o maior festejo junino do país.

Na prática, o São João já está nas ruas e na agenda do maranhense desde o início do mês. Mas é nesta quarta que começa a intensa temporada oficial montada pelo Governo do Maranhão.

São três arraiais: Ipem, Maria Aragão e Nauro Machado. “Vamos mostrar para todo o Brasil a força do nosso Estado, da nossa cultura, a beleza do nosso povo, as cores do nosso São João”, disse o governador Flávio Dino, que visitou nesta terça-feira (18) a estrutura do Ipem, incluindo a nova atração da festa: a Vila Junina.

Vila Cultural, a nova atração da festa no Arraial do Ipem (Foto: Gilson Teixeira)
Trata-se de uma espécie de vila cenográfica que recria a fachada de oito casas de cultura do Estado, além da Igreja da Sé. São eles: Casa de Cultura Josué Montello, Casa do Divino de Alcântara, Casa do Tambor de Crioula, Biblioteca Benedito Leite, Forte Santo Antônio, Museu do Reggae, Palácio dos Leões e Teatro Arthur Azevedo.

Nós inovamos com as bandeirinhas do Centro Histórico; e aqui no Ipem trazemos mais essa novidade”, afirmou o secretário de Estado da Cultura, Diego Galdino. “Divulgando essas casas no Arraial do Ipem, a gente consegue alavancar a visitação nesses locais”, acrescentou.

O espaço foi pensado para fotos e passeios, além de mostrar o rico universo da história, tradição e cultura do povo maranhense.

Será mais um belo São João, que é uma marca da nossa cultura, da nossa população. Agradecemos por essa grande festa que o Governo do Maranhão faz na nossa cidade”, afirmou o prefeito Edivaldo Holanda Jr.

Comida

O Arraial do Ipem tem 29 barracas de comidas típicas, 11 food trucks, 11 bike food, sete cervejarias artesanais, 30 vendedores ambulantes e decoração especial com as famosas bandeirinhas mosaicos.

A estrutura tem três palcos: um principal para shows, outro para atrações folclóricas, e mais o Barracão do Forró, cujo palco será temático com cenário simulando a fachada do Centro Cultural do Engenho de Pindaré-Mirim.

O Arraial do Ipem terá ainda espaço exclusivo para programação infantil, onde a garotada poderá se divertir a partir das 17h.

Segurança

O secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, disse que “todos os locais terão policiamento no entorno para garantir não só a tranquilidade de quem está nas proximidades do palco, mas também para quem está chegando e saindo”.

De acordo com o secretário de Turismo, Catulé Jr, o atendimento ao turista está sendo reforçado em diversos pontos: “A expectativa é que o número de visitantes à nossa capital ultrapasse os 150 mil, então estamos preparados para recebê-los da melhor maneira possível”.

Emprego e renda

Além da festa e da cultura, o São João também agita a economia. “Temos dois grandes objetivos: a valorização da identidade do povo do Maranhão, representado por sua riquíssima cultura; e a ativação da economia da cultura”, afirmou o governador.

Para nós, o São João é um investimento que traz um retorno significativo para a imagem do nosso Estado, pela movimentação econômica de uma larga cadeia que já está funcionando desde as prévias juninas”, acrescentou Flávio.

Programação

O São João do Maranhão terá 12 dias de festas com uma média de seis apresentações por noite, de 19 a 30 de junho. Além do Ipem e Praça Maria Aragão, o centro histórico também receberá atrações sempre às sextas-feiras e sábados na Praça Nauro Machado, às quartas na Casa do Tambor de Crioula, e às sextas na Praça dos Catraieiros.

O Arraial da Praça Maria Aragão contará com mais de 100 atrações em 12 dias de festividades. O evento abre nesta quarta-feira (19) com show do cantor nordestino Alceu Valença, apresentação de bumba boi e grupos culturais.

O evento na Maria Aragão terá, ainda, no último dia do arraial, a presença da cantora Elba Ramalho, fechando as festividades juninas nesse espaço.

No arraial do Ipem, Chambinho do Acordeon, Santanna, o Cantador e Rita de Cássia são atrações confirmadas. Além dos grupos nordestinos, o espaço terá shows com artistas locais e mais de cem grupos da rica e diversa cultura popular do Maranhão.

Além dos arraiais oficiais, o São João do Maranhão acontece, também, nos bairros da Cidade Operária, João de Deus, Anil, João Paulo, Liberdade, Anjo da Guarda e Largo de Santo Antônio.

Outra atração que faz parte do calendário junino são os festejos tradicionais: Encontro de Danças Portuguesas e Manifestações Culturais (28 de junho), São Pedro (29 de junho), São Marçal (30 de junho), Encontro de Miolos de Boi (12 de julho) e Festival de Zabumba (13 de julho). Estes eventos também receberam apoio do Governo do Estado.

Flávio Dino defende união do Nordeste para superar “paralisia da economia brasileira”




O governador Flávio Dino participou, nesta segunda-feira (17), de reunião com a governadora Fátima Bezerra, do Rio Grande do Norte, em Natal. Durante o encontro, os chefes do Executivo partilharam experiências de gestão e trataram sobre políticas de desenvolvimento regional para a retomada do crescimento do país.

Dino defendeu a união dos estados nordestinos para atravessar a “intempérie nacional” e a mobilização dos governadores visando o enfrentamento dos temas da pauta federativa que tramitam no Congresso Nacional.

Queremos garantir que os estados possam ser viáveis e termos condições de fazermos investimentos públicos, que haja retomada do crescimento econômico e a superação desse quadro de paralisia da economia brasileira, que vem causando tantos problemas”, pontuou o governador Flávio Dino ao final da reunião.

Para o governador Flávio Dino, a crise econômica que se arrasta no país coloca um gigantesco desafio na mão dos governadores. “A crise fiscal derivada de anos de recessão econômica constrange muito gravemente as finanças públicas e por isso dificulta a implementação de ampliação de direitos, de política públicas, de oportunidades de trabalho, de políticas sociais de um modo geral”, disse.

Ainda de acordo com o governador, há uma profunda convergência de opiniões entre ele e governadora Fátima Bezerra sobre qual deve ser o rumo das políticas públicas no país, o que facilita a solidariedade e a união dos estados.

Tive a alegria de ser deputado federal junto com a governadora Fátima e encaminhamos lutas de enorme importância para nossa nação, atinentes à melhoria da educação. Tenho muita certeza da sua seriedade de propósitos e do êxito das suas ações à frente do Rio Grande do Norte”, disse.

terça-feira, 18 de junho de 2019

PCdoB do Maranhão reúne lideranças para debater eleições municipais de 2020



O diretório estadual do PCdoB no Maranhão reuniu nesta segunda-feira (17), em São Luís, os presidentes dos diretórios municipais da legenda, para debater as eleições municipais de 2020.

O partido, que cresceu nas últimas eleições, inclusive, tem o governador reeleito Flávio Dino, trabalha para ampliam o número de prefeitos eleitos pela sigla. Para isso, pretende lançar o máximo de candidaturas próprias, podendo alcançar pelo menos 150 municípios no estado.

O encontro foi coordenado pelo presidente estadual da legenda, deputado Márcio Jerry. 

Pré-candidato a prefeito em Lago da Pedra, o ex-deputado Mauro Jorge esteve presente. Lago da Pedra, que fica na região do Médio Mearim, está entre as prioridades do partido.

´´ É importante o partido e seus membros estarem alinhados com o sentimento das ruas e os anseios da população nos municípios. O PCdoB, através do presidente Márcio Jerry, tem buscado diariamente esse alinhamento. E, nós, estamos alinhados com os anseios da população de Lago da Pedra. É por isso, com aval do presidente e dos demais colegas,  que estamos na luta, em busca de um Lago da Pedra melhor, um município que possa se desenvolver. Que as políticas públicas possam chegar a quem realmente precisa, garantindo o bem estar da população”, destacou Mauro Jorge.


Prefeito de Lagoa Grande, Chico Freitas, deputado Márcio Jerry e  Mauro Jorge



Mávio Rocha e Mauro Jorge

Ricardo Lucena e Mauro Jorge

Equipes avançam os trabalhos na MA-270 e iniciam etapa de pavimentação



Com o andamento dos trabalhos de terraplanagem (aterros, cortes e escalonamento) para a preparação do solo dos vinte e cinco quilômetros de extensão da MA-270, as equipes do Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), iniciaram os serviços dos primeiros quilômetros de pavimentação do trecho, que liga os municípios de Sucupira do Norte até Pastos Bons.

No perímetro urbano de Sucupira do Norte, por exemplo, máquinas já realizam a implantação do novo pavimento que vai beneficiar várias comunidades que moram no Leste maranhense, além de interligar novas rotas para mais de seis municípios do interior e também uma alternativa de percurso para quem precisa se deslocar até a capital maranhense.

Orçada em R$ 28 mi, a estrutura para a execução da obra envolve mais de 44 maquinários especializados, uma usina de asfalto e cerca de cento e dez trabalhadores, divididos em seis equipes que trabalham simultaneamente na rodovia.

Todos os serviços como, terraplanagem, regularização de subleito, execução e lançamento de base e sub-base, além de pavimentação asfáltica e drenagem estão em fase avançada, para proporcionar ao final do projeto, segurança e conforto na mobilidade da população. Além disso, a obra também passará por etapas de sinalização horizontal e vertical ao longo de toda a via.

Para o Secretário de Estado, Clayton Noleto, as ações de mobilidade nas rodovias do Estado, tanto em serviço de implantação quanto em manutenção, seguem em andamento em vários pontos do Maranhão, e novos trechos serão finalizados nos próximos sessenta dias.

Temos trabalhado de modo intenso com todo o nosso quadro técnico de profissionais para mudar a realidade das rodovias maranhenses. O Governo Flávio Dino tem se empenhado para levar mobilidade onde antes era buraco e isolamento. Municípios, povoados e várias regiões são hoje beneficiados com a chegada não só do asfalto, mas do desenvolvimento”, disse.

Investimento

O Estado possui seis obras rodoviárias em andamento, com previsão para finalização nos próximos sessenta dias. Foram investidos mais de R$200 mi para garantir a pavimentação de quatro trechos que vão beneficiar as regiões Central, Sul e Baixada Maranhense. Além disso, outras duas pontes estão com trabalhos em fase de conclusão, com a finalização da obra elas passam a interligar importantes rotas no Estado, realizando o sonho de diversas comunidades.

Reforma do CE Sotero dos Reis representa dignidade à comunidade escolar e respeito à história de São Luís




Hoje nós realizamos um sonho. Um sonho que não é só meu, mas é de alunos, professores e toda comunidade. Nossa escola hoje é digna. Digna da memória de Sotero dos Reis. Agradecemos muito a Deus e ao nosso governador pela sensibilidade”. As palavras emocionadas são de Aparecida Carvalho, gestora geral do Centro de Ensino Sotero dos Reis, escola da rede pública estadual que funciona em um prédio quase centenário, na rua São Pantaleão, capital maranhense.

Com muita música e animação, a escola foi inaugurada na manhã desta segunda-feira (17), após passar por uma importante reforma durante seus 82 anos de existência, que respeitou a arquitetura do prédio tombado como patrimônio histórico. Há décadas sem receber obras, a escola acumulou diversos problemas estruturais que prejudicavam o dia a dia da comunidade.

As melhorias realizadas além de conceder condições dignas para a comunidade escolar, representam, ainda, um resgate histórico e de preservação do espaço, que no século XIX já foi o mais luxuoso cemitério de São Luís, como relembra o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão. “Uma alegria muito grande entregar mais uma escola digna, a 11ª deste mês de junho. O Governo Flávio Dino não para e nós estamos constantemente buscando melhores condições para nossos estudantes e professores. O Sotero dos Reis, escola tradicionalíssima de São Luís, há décadas clamava por uma reforma, inclusive estava com um andar todo interditado. E hoje, sim, está belíssima, estruturada, com espaços dignos e funcionando plenamente para melhor atender nossos estudantes. Além disso, a reforma realizada neste prédio é um resgate e preservação do nosso patrimônio, pois aqui há muitos anos, funcionou o cemitério dos ingleses”, realçou o secretário.

Para o estudante Pedro Marcelo, a reforma da escola estimula a comunidade para preservação do ambiente, que guarda um pouco da história de antepassados. “Para gente é gratificante, porque a melhoria na escola muda até nosso propósito de querer preservá-la, porque isso aqui se trata de um patrimônio. Nos sentimos felizes por termos ele preservado e por podermos cuidar dele”, enfatizou.

Lecionando no CE Sotero dos Reis há mais de uma década, a professora Graça Maria afirma que a reforma é motivacional e gratificante. “Tenho muitos anos aqui e ainda não tinha visto uma reforma de qualidade como estamos vendo agora. Isso ‘pra’ mim é sucesso. Estamos muito felizes com isso. É gratificante para mim estar em um local assim, porque eu gosto de estar em sala de aula, e com a escola da forma que está, eu venho ainda mais feliz e cantando”, declarou a educadora.

Sotero dos Reis – lugar onde jaz história 

Fundada em 1937, a Sotero do Reis guarda uma história cheia de riquezas e fatos que estão diretamente associados à história de São Luís. Primeiramente, à história de vida do seu patrono, Francisco Sotero dos Reis, professor autodidata considerado um dos principais expoentes da educação ludovicense e brasileira, que deixou um legado incalculável à Língua Portuguesa, ao escrever, em 1962, Pastillas de Grammática Geral, considerada por muitos historiadores a primeira gramática brasileira.

Outro importante marco é o local, que no século XIX abrigou o mais luxuoso cemitério de São Luís, época em que os ingleses chegaram à ilha.  Com suas resistências em utilizar espaços públicos, resolveram construir suas próprias igrejas, escolas, casas e cemitérios. O da São Pantaleão – espaço onde hoje é a escola – tinha, logo na entrada, um portal de cantaria, que veio de Lisboa (Portugal), portões e gradeados que chamavam a atenção pelo esplendor e qualidade de acabamento. Os jazigos eram quadrados, porque os corpos eram enterrados no sentido vertical.

Dados apontam que, ali, foram enterrados 242 corpos, entre eles, diplomatas, comerciantes, comandantes de navio e marinheiros. De acordo com relatos, até meados de 1970, os túmulos ainda podiam ser vistos no local e, ainda hoje, o espaço da escola abriga dois túmulos.

Policiais militares de Lago do Rodrigues e Lago do Junco conduzem homem à Delegacia ao ser flagrado armado




Em blitz de rotina realizada na MA-119, no povoado Pote, divisa entre os municípios de Lago do Junco e Lago dos Rodrigues, policiais militares lotados nos dois municípios,  abordaram um indivíduo, nome não revelado, que conduzia o veículo Ford Fiesta- sedan, com placa HDW-0052, de Espinosa-MG. 


O motorista estava sem a documentação pessoal, e com a documentação do veículo atrasada. Na revista pessoal, os policiais descobriram que o indivíduo portava uma arma branca (faca). Já na revista veicular, próximo ao banco do motorista, os militares encontraram um revólver calibre .38, com cinco munições intactas.

Homem, veículo, armas e os pertences foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil de Lago da Pedra, para que sejam tomadas as medidas cabíveis.


Vereador Henrique Paraibano cobra do prefeito Laércio Arruda mais incentivo aos festejos juninos em Lago da Pedra



Foto: Reprodução

Na última Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores de Lago da Pedra, que ocorreu na sexta-feira (14), o vereador Henrique Paraibano, da bancada de oposição, chamou atenção ao cobra do prefeito Laércio Arruda  incentivo à cultura local, se referindo aos festejos juninos, que já foram os maiores da região. 

De acordo com a programação da Prefeitura, o ´´Arraial`` será apenas um final de semana, do dia 21 à 23, com poucas atrações, entre elas a Banda Meu Xodó, de Pernambuco, a de maior expressão. 

Paraibano desafiou o prefeito a prolongar as festividades até o dia 30, para incluir atrações locais que ficaram fora da programação. Caso o prefeito mantenha o Arraial, o vereador se comprometeu a pagar essas atrações.

´´Muitos pais de família dependem da festa para garantir uma melhoria ou até mesmo a renda da família, e essas pessoas são prejudicadas com esse tipo de festa que aqui é ´relâmpago`, enquanto que em muitas partes da nossa região, os arraiais, que são tradicionais no Nordeste, são mais estendidos. Há muito tempo venho sendo procurado por vendedores ambulantes, proprietários de bandas e cantores locais, e por organizadores de quadrilhas, pela falta de incentivo da prefeitura. Eles me cobram um posicionamento. Uma festa dessa gera recursos financeiros para o município, isso, porque, se voltar a ser um grande arraial,  é um ponto forte para o turismo na cidade, como foi em outras épocas, além do evento gera renda para as pessoas que vivem de vendas em festas e shows``, destacou o vereador a este Blog. Ele continua, ´´fala-se em polpar dinheiro, no entanto, gostaria de saber. Ou melhor, a sociedade gostaria de saber, onde esse dinheiro está sendo investido``.

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Mauro Jorge prestigia cavalgada no povoado João Grosso, em Lago da Pedra




Mauro Jorge abraçando amigos

No último domingo (16), o líder político e pré-candidato a prefeito de Lago da Pedra, Mauro Jorge, a convite de moradores da localidade, esteve prestigiando a tradicional Cavalgada do povoado João Grosso, organizada pelo líder comunitário Fernando.
Acompanhado do vereador Henrique Paraibano e outras lideranças, o líder político abraçou amigos e brincou junto aos cavaleiros e amazonas.
Cerca de duzentos participantes fizeram o percurso, que teve início no povoado Umbaca.
´´ É gratificante participar de um evento como este, a cavalgada está no sangue dos lagopedrenses. Não é por acaso que tem muita gente aqui hoje, se divertindo, se confraternizando neste domingo. Agradeço ao convite feito por amigos, fomos muito bem recepcionados por todos que aqui estão. E isso nos motiva, mostra que estamos no caminho certo``, destacou Mauro Jorge.






sábado, 15 de junho de 2019

Policiais militares de Lago dos Rodrigues recuperam motocicleta com queixa de roubo



Policiais militares de Lago dos Rodrigues apreenderam na manhã deste sábado (15) uma motocicleta com restrição de furto ou roubo, na MA-119. Os militares realizavam a Operação Salva Guarda, blitz, na entrada da cidade, quando abordaram um motociclista e pediram a documentação do veículo. O homem, identificado como Leonilson Paiva Oliveira, não estava com a documentação da moto. Ele alegou que o veículo tinha sido comprada por seu irmão, Lugilson Antonio Paiva Oliveira.

O condutor e a motocicleta foram encaminhados ao Departamento de Polícia. Lá, ao checar a placa da moto (PSG 3920) no Sistema Infoseg, os policiais constaram que o veículo era roubado ou furtado. O condutor foi notificado. Ainda na manhã de hoje, Lugilson, o suposto proprietário, foi ao DP e se apresentou como dono da motocicleta. Ele recebeu voz de prisão, por receptação, e foi encaminhado para a Delegacia de Pedreiras.

Governador Flávio Dino repudia postura do juiz Sérgio Moro


Depois do site ´´The Intercept`` divulgar, nesta sexta-feira (14),  novos trechos de conversas entre o juiz Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato, onde, em um dos trechos, após depoimento de Lula, o juiz ´´zomba`` do ex-presidente e de sua defesa, o governador Flávio Dino, que é juiz federal, se manifestou, por meio das redes sociais, contra a postura de Moro.
 

Moro sugeriu nota para direcionar a imprensa após interrogar Lula. Ele zomba do ex-presidente e da defesa





Horas depois do primeiro depoimento de Lula, o então juiz procurou o Ministério Público para sugerir nota à imprensa que esclarecesse "contradições" do petista.

Um trecho do chat privado entre Sergio Moro e o então procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima mostra que o ex-juiz pediu aos procuradores da Lava Jato uma nota à imprensa para rebater o que chamou de “showzinho” da defesa de Lula após o depoimento do ex-presidente no caso do triplex do Guarujá. O conteúdo faz parte do arquivo As mensagens secretas da Lava Jato.
Os procuradores acataram a sugestão do atual ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, em mais uma evidência de que Moro atuava como uma espécie de coordenador informal da acusação no processo do triplex. Em uma estratégia de defesa pública, Moro concedeu uma entrevista nesta sexta-feira ao jornal o Estado de S. Paulo onde disse que considera “absolutamente normal” que juiz e procuradores conversem. Agora, está evidente que não se trata apenas de “contato pessoal” e “conversas”, como diz o ministro, mas de direcionamento sobre como os procuradores deveriam se comportar.
Juntamente com as extensas evidências publicadas pelo Intercept no início desta semana – em que Moro e Deltan conversam sobre a troca da ordem de fases da Lava Jato, novas operações, conselhos estratégicos e pistas informais de investigação –, esta é mais uma prova que contraria a tentativa de Moro de minimizar o tipo de relacionamento íntimo que ele teve com os promotores.
Ao contrário da defesa de Moro de que as comunicações eram banais e comuns – contendo apenas notícias e informações, mas não ajudando os promotores a elaborar estratégias (“existia às vezes situações de urgência, eventualmente você também está ali e faz um comentário de alguma coisa que não tem nada a ver com o processo”, disse ao Estadão) –, essas conversas provam que Moro estava sugerindo estratégias para que os procuradores realizassem sua campanha pública contra o próprio réu que ele estava julgando.
O EPISÓDIO OCORREU em 10 de maio de 2017, quando Moro já presidia um processo criminal contra o ex-presidente no caso do “apartamentro triplex do Guarujá”. Eram 22h04 quando o então juiz federal pegou o celular, abriu o aplicativo Telegram e digitou uma mensagem ao Santos Lima, da força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal em Curitiba.
O que achou?”, quis saber Moro. O juiz se referia ao maior momento midiático da Lava Jato até então, ocorrido naquele dia 10 de maio de 2017: o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo em que ele era acusado – e pelo qual seria preso – de receber como propina um apartamento triplex no Guarujá. Disponibilizado em vídeo, o embate entre o juiz e o político era o assunto do dia no país.
Além do depoimento, outro vídeo com Lula também tomava conta da internet e dos telejornais naquele mesmo dia. Depois de sair do prédio da Justiça Federal, o ex-presidente se dirigiu à Praça Santos Andrade, em Curitiba, e fez um pronunciamento diante de uma multidão. Por 11 minutos, Lula atacou a Lava Jato, o Jornal Nacional e o então juiz Sergio Moro; disse que estava sendo “massacrado” e encerrou com uma frase que entraria para sua história judicial: “Eu estou vivo, e estou me preparando para voltar a ser candidato a presidente desse país”. Era o lançamento informal de sua candidatura às eleições de 2018.
Moro, o juiz do caso, zombava do réu e de seus advogados enquanto fornecia instruções privadas para a Lava Jato sobre como se portar publicamente e controlar a narrativa na imprensa.
As afirmações do então magistrado que o Intercept divulga agora contradizem também o que ele dissera horas antes a Lula, naquele mesmo dia do julgamento, publicamente, ao iniciar o interrogatório do petista: que o ex-presidente seria tratado com “todo o respeito”.
Eu queria deixar claro que, em que pesem alegações nesse sentido, da minha parte não tenho nenhuma desavença pessoal contra o senhor ex-presidente. Certo? O que vai determinar o resultado desse processo no final são as provas que vão ser colecionadas e a lei. Também vamos deixar claro que quem faz a acusação nesse processo é o Ministério Público, e não o juiz. Eu estou aqui para ouvi-lo e para proferir um julgamento ao final do processo”, disse Moro.
DEZ MINUTOS DEPOIS da conversa com o então juiz, naquele 10 de maio, Santos Lima abriu o grupo Análise de clipping, em que também estavam assessores de imprensa do MPF do Paraná. Ele estaria em Recife no dia seguinte em um congresso jurídico.
Oito minutos depois, Santos Lima copiou a conversa que teve em seu chat privado com Moro – em que o juiz sugere a nota pública para apontar as contradições de Lula – e colou em outro chat privado, com o coordenador da Lava Jato no MPF, Deltan Dallagnol. Eram 22h38.
Àquele horário, os procuradores da força-tarefa discutiam num chat chamado Filhos de Januário 1 se deveriam comentar publicamente o depoimento de Lula. Às 22h43, Santos Lima escreveu no grupo, dirigindo-se a Dallagnol: “Leia o que eu te mandei.”. Ele se referia às mensagens que trocara com Moro. Três minutos depois, Dallagnol responderia em quatro postagens consecutivas no grupo:
Foi a vez então de Dallagnol mandar uma mensagem ao grupo Análise de clipping, dos assessores de imprensa.
O assessor de imprensa estranhou o pedido e alertou que poderia ser um “tiro no pé”.

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Governo bloqueia pagamento de mais de 800 servidores sem lotação comprovada





A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) enviou para a Secretaria de Estado da Gestão, Patrimônio e Assistência dos Servidores (Segep) a relação de servidores sem lotações identificadas para bloqueio de salário. Ao todo, foram identificados 858 servidores do órgão que permanecem sem lotação definida e não atenderam à convocação para regularização da situação.

Para desbloquear seus vencimentos, os servidores que constam na listagem abaixo devem procurar a Seduc, por meio do WhatsApp (98) 98533-8329, para regularizar sua situação. O atendimento poderá ser feito de a partir da próxima segunda-feira (17) e ocorrerá somente em dias úteis – de segunda a sexta-feira – das 8h às 17h.

No momento do contato, o servidor deverá estar munido do contracheque, CPF, nº da matrícula, e informar nome completo, número de telefone, cidade de residência e local de lotação, caso não esteja lotado que justifique.

Em maio, foram identificados 1.579 servidores sem lotação definida, após trabalho de reorganização da Rede Estadual de Ensino. Desde total, 721 regularizaram suas situações e foram lotados em escolas e unidades administrativas da Seduc.

Confira a relação nominal dos servidores no site da Seduc (www.educacao.ma.gov.br).

Audiências do Orçamento Participativo chegam a região do Pindaré


Estudantes participal de audiência do Orçamento Participativo (Foto: Marcelo Gomes)


Dando continuidade as 35 audiências do Orçamento Participativo (OP), nesta quinta-feira (13), foi a vez da região do Pindaré, na cidade de Santa Inês, indicar quais são as prioridades para a localidade. Durante todo o dia, a população teve a oportunidade de debater e sugerir ações que devem ser implementadas no ano de 2020, por meio da Lei Orçamentária Anual (LOA) e também no Plano Plurianual (PPA) 2020-2023.

Quem não perdeu a oportunidade de sugerir ações para sua comunidade foi a coordenadora das Organizações e Articulações dos Povos Indígenas do Maranhão, Marcilene Guajajara, da terra indígena Caru, aldeia Maçaranduba. “É uma honra os povos indígenas participarem e dizerem o que realmente é preciso que seja implementado na região. Nós propusemos que sejam destinados mais recursos para duas áreas em especial, saúde e meio ambiente, focando na questão do desmatamento”, destacou a coordenadora.

Raile Silva tem 17 anos e reconhece a necessidade de participar dos debates sobre o orçamento para a sua região. “Eu acho importante pra gente estar presente para discutir e propor melhorias para a nossa educação. A audiência foi realizada aqui na escola em estudo, no Centro de Ensino Bandeira Tribuzzi, portanto mais um motivo para eu e todos os meus colegas estarmos engajados em buscar melhorias”, afirmou a estudante.
Mesa de abertura do OP em Santa Inês (Foto: Marcelo Gomes)

Em momentos como esses as pessoas tem oportunidade de debater, levantar suas necessidades e exigir o que lhe é de direito para fazer um Maranhão cada vez melhor para todos os maranhenses”, pontuou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e vereador de Santa Inês, Manoel Macedo.
Representando a Secretaria de Estado Extraordinária de Articulação das Políticas Públicas (Seepp), a assessora técnica Ana Lúcia Nunes destacou que as audiências do Orçamento Participativo representam uma das principais características do Governo do Estado, atuação com a efetiva participação popular.

Este é um momento ímpar para todos juntos, estudantes, associações de moradores, sindicatos, lideranças comunitárias, governos municipais, junto com o Governo do Estado, refinarem as propostas relacionadas as justiças sociais, infraestrutura, desenvolvimento e modernização da gestão. É mais do que necessário o olhar da população, pois ela é que sabe quais ações são prioridades para a região, pois o Maranhão é um estado muito grande e com diferentes necessidades”, esclareceu.

O secretário adjunto de Licenciamento da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Diego Matos, também participou da audiência do OP em São Inês. Ele destaca a importância de momentos como este de escuta da população. “Esse é um momento crucial com a inclusão dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nesse nosso planejamento de Estado pros próximos quatro anos, ou seja, por meio de ações locais estamos focando em metas que se dão em âmbito mundial. Pensar globalmente, agir localmente”, ratificou.

Grupos de trabalho OP em Santa Inês (Foto: Marcelo Gomes)
Também participaram representando o Governo, Laurinda Pinto, assessora especial do governador; Aristeu Marques, coordenador das regionais de Saúde; e Juliana Alves, superintendente de projetos especiais da Secretaria de Estado de Planejamento e Orçamento (Seplan).

Audiências do Orçamento Participativo 

Esta já é a terceira semana de escuta da população por meio das audiências do Orçamento Participativo. No próximo dia 18 de junho, será a vez dos moradores das regiões de Itapecuru-Mirim, Colinas, Rosário e Codó afirmarem quais são suas prioridades.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Prefeitura de Alcântara realiza o maior festejo do Divino de todos os tempos




Nos últimos três anos (2017, 2018 e 2019), o Festejo do Divino Espírito Santo tem levado milhares de visitantes até a cidade de Alcântara-MA. Este ano, a Prefeitura de Alcântara realizou o maior festejo do Divino de todos os tempos na Cidade História. Milhares de visitantes abrilhantaram o tradicional festejo, que já caminha para completar três séculos de tradição.

A Festa do Divino reúne fé, força e tradição. Durante os 12 dias de festejo, a comunidade alcantarense atua como Maître (acomoda os visitantes durante a festa e organiza a cidade, garantindo eficiência no atendimento e satisfação aos turistas).  Cada morador se dedica e ajuda no que pode, um ato normal na cidade de Alcântara durante o festejo.

Pousadas e restaurantes ficaram lotados dia e noite durante o festejo. Acampamento foram feitos em Praças da Cidade, Casas de Famílias e quintais. A cidade estava lotada, gente de vários lugares do Brasil. Durante o dia o turismo cresceu, a noite todo esse povo se concentrava na Praça da Matriz, palco principal do Festejo do Divino

Desde 2017 o Festejo do Divino tem tido o apoio da Prefeitura de Alcântara e Governo do Estado, por meio da lei de incentivo à cultura. Este ano foram R$300 mil reais para cobrir todas as despesas, incluíndo os artistas que fizeram shows nos dias 08 e 09 no encerramento do festejo. Além desse apoio da prefeitura, o prefeito Anderson Wilker doou as camisas para o Imperador e Mordomos. Este ano a festa bateu recordes de público.

Para a turista cearense, Camila Amaral Siqueira, de 28 anos, o Festejo do Divino de Alcântara é diferente e melhor do que qualquer outro lugar do Brasil. "Gosto muito do festejo do Divino, já participei de inúmeros pelo Brasil a fora, mas aqui em Alcântara fiquei encantada. Aqui é bem diferente, bem melhor, um povo hospitaleiro, sem contar que a cidade é organizada. A tradição aqui é fora do sério, jamais vista em outro lugar.  Os táxis e mototáxis estão todos padronizados, isso se chama segurança aos turistas. Quero parabenizar a gestao municipal e aos organizadores do festejo. Gostei de tudo, mas o povo me deixou encantada. Como estudante, acho que voltarei aqui para fazer um estudo mais aprofundado", destacou a turista.

Para o prefeito Anderson Wilker, o crescimento do festejo nos últimos três anos, mostra que quando se faz um trabalho sério, o retorno é certeza. "A festa do Divino a cada ano que passa tem tido grande investimento, tanto do Governo do Estado, quanto da Prefeitura de Alcântara. Temos feito o melhor que a gente pode. A festa tem crescido e a demanda de visitantes tem aumentado aqui em Alcântara durante o festejo. A cidade tem suportado a demanda, a rede hoteleira, está gerando emprego e desenvolve a economia de nossa cidade e a gente fica muito feliz em poder está contribuindo com tudo isso. O governador Flávio Dino tem nos ajudado muito, nos últimos anos a gente tem feito com que a festa do Divino tenha um potencial ainda maior do que já tem. A comunidade de Alcântara que ajuda, patrocina e investe, a prefeitura de Alcântara e o Governo do Estado apenas incrementa isso", destacou o prefeito Anderson.

A festa do Divino Espírito Santo é um ritual do Catolicismo Popular marcado pela presença significativa de mulheres – as caixeiras – que tocam instrumentos musicais denominados caixas do Divino. Além de procissões e missas, o evento tem música, dança, queima de fogos e distribuição de licores e doces de espécie, típico da região. O ponto alto aconteceu no último final de semana do Domingo de Pentecostes, quando a Praça da Matriz recebeu grandes atrações nacionais, como: Silvano Sales e Mara Pavanelly, além de bandas e cantores maranhenses e alcantarenses, como a banda Barba Branca - abriu o último dia de evento.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Governo do Maranhão em parceria com a prefeitura de Alcântara apoiou o festejo através da lei de incentivo à cultura, com R$ 300 mil reais, que serão usados para cobrir todas as despesas, inclusive as atrações no encerramento do festejo. Aproximadamente 50 mil visitantes passaram por Alcântara durante os 12 dias de festa.

Sem o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Alcântara, a realização da Festa seria impossível. É uma celebração tradicional com muitas dimensões e que envolve toda a população alcantarense, com custos altos para a preparação nos diversos pontos em que as celebrações acontecem. Agradecemos muito a sensibilidade do Estado para conseguirmos realizar esse evento”, disse a secretária municipal de  Cultura de Alcântara, Marcelina Serrão.


Para garantir que os milhares de turistas tivessem acesso à cidade histórica, a prefeitura de Alcântara garantiu junto às empresas que prestam serviço de transporte para a cidade, o fornecimento de embarcações extras durante o período da festa. Cinco embarcações (barcos Luzitana, Bira Mar, Bahia Star e barraqueiro), além das catamarãs, fizeram a travessia de São Luís (cais da Praia Grande) para Alcântara (Porto do Jacaré). Mas a procura foi muito grande e centenas de passageiros optaram via ferry boat, uma alternativa para quem não comprou passagem antecipada via barco e catamarã.

Embora a festa do Divino envolva gente de todos os status sociais, quase todos os participantes são pessoas humildes, de baixo poder aquisitivo, que se esforçam para produzir uma festa rica e luxuosa, onde não podem faltar as refeições, decoração requintada e caras vestimentas para o império. Por se tratar de uma festa longa, custosa e cheia de detalhes, sua preparação e realização levam vários meses e envolvem muita gente, construindo assim uma grande rede de relações entre todos os participantes.

Início da tradição e devoção

O culto ao Divino Espírito Santo no Maranhão provavelmente teve início com os colonos açorianos e seus descendentes, que desde o início do século XVIII começaram a habitar a região. Em meados do século XIX, a tradição da festa do Divino estava firmemente enraizada entre a população da cidade de Alcântara, de onde teria se espalhado para o resto do Maranhão, tornando-se muito popular entre as diversas camadas da sociedade, especialmente as mais pobres.

  Essa popularidade entre os setores mais humildes da população maranhense, inclusive os escravos, talvez possa ser explicada pela ênfase não só na fartura, mas também na fraternidade e na igualdade, que o culto ao Divino costuma apresentar. A festa do Divino Espírito Santo com quase 300 anos de tradição, tem crescido cada vez mais nos últimos três anos.