Governo do Maranhão

Governo do Maranhão
Governo do Maranhão

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Estado e Municípios unidos no Dia D de mobilização contra o mosquito Aedes aegypti



‘O Dia D’ de mobilização contra o mosquito Aedes aegypti foi marcado em São Luís por mutirões de limpeza urbana, distribuição de panfletos educativos e atividades para alertar a população sobre as fases de evolução do mosquito e ressaltar os meios disponíveis para combatê-lo. A mobilização foi realizada na manhã de sexta-feira (11), na Praça Deodoro, com o lema: ‘Se o mosquito pode matar, ele não pode nascer’.

Centenas de agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes comunitários de endemias (ACE) participaram do trabalho de mobilização na luta contra o Aedes aegypti. O mosquito é o vetor de transmissão da dengue, Chikungunya, Zika vírus e pode causar microcefalia em recém-nascidos no caso da mãe engravidar no período em que estiver com Zika vírus.

A ação reuniu autoridades como o secretário de Estado da Saúde, Marcos Pacheco, que representou o governador Flávio Dino; o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior; a secretária de Saúde de São Luís, Helena Duailibe; a secretária de Saúde de São José de Ribamar, Dalila Vasconcelos; dentre outras autoridades. O secretário Marcos Pacheco ressaltou o caráter urgente e preventivo dessa mobilização com o envolvimento da população, dos agentes comunitários e das autoridades.

“O governador Flávio Dino tem tratado com muita seriedade as ações na saúde. Essa guerra travada contra o mosquito, também pretende prevenir a existência de novos focos e, assim, que mais doenças sejam disseminadas por meio do mosquito adulto. Devemos pensar que a cada mosquito que não nasce, milhares de pessoas continuam vivas. Por isso, estamos frisando a importância da participação ativa de todos”, informou o secretário.

O Maranhão possui um ‘Plano Estadual de Controle ao Aedes aegypti’ e na próxima segunda-feira (14), o Governo do Estado iniciará em Barra do Corda uma campanha de mobilização, que será realizada em todos os municípios com uma grande quantidade de registros de criadouros do vetor.

“A palavra de ordem é mobilização. Vamos intensificar o uso do carro fumacê nos bairros onde o índice de infestação é alto, porém, precisamos que haja, principalmente, a consciência de que só será possível ter uma campanha resolutiva exterminando o criadouro, e essa ação começa em casa”, frisou Marcos Pacheco.

O compromisso firmado entre o Governo do Estado e os municípios para o combate ao mosquito da dengue foi destacado pela secretária municipal de Saúde de São Luís, Helena Duailibe, como fundamental para conter a proliferação das doenças. “Estamos trabalhando para conscientizar que esse é um trabalho de todos. Não existe combate isolado quando se trata de saúde pública. Chamamos a atenção também para o papel da população, pois os maiores criadores são dentro de casa, por isso, cada cidadão é importante para o sucesso desse trabalho”, esclareceu a secretária.

Mais ferramentas no combate à dengue

Como medida para combate ao mosquito, a SES disponibilizará 20 novos veículos para aplicação de inseticida Ultra Baixo Volume (UBV), tradicionalmente conhecido como ‘Fumacê’, e seis veículos seminovos doados pelo Ministério da Saúde, totalizando com os já existentes 50 veículos. Em parceria com os municípios serão realizados acordos para intensificar a limpeza urbana em pontos estratégicos, no recolhimento de resíduos domésticos e de resíduos jogados em terrenos baldios.

A professora Nelci Ribeiro passou pela Praça Deodoro durante a mobilização e fez questão de ressaltar a importância do trabalho de educação à população. “Há anos é de conhecimento de todos onde a larva se plorifera. Se ainda tem mosquito é porque ainda tem trabalho a fazer. Não adianta uns fazerem sua parte e outros não cuidarem dos seus quintais e terrenos. Por isso, essa ação é importante para chamar atenção e lembrar a todos que esse é um dever comunitário”, disse a professora.

Agente comunitária de saúde de São José de Ribamar, há 29 anos, Fátima Sales, explica que a maior dificuldade que os ACS encontram no combate ao mosquito é ter acesso às casas, barreira que precisa ser ultrapassada para realização do trabalho. “Nós visitamos as casas para somar forças, fazer a vistoria e colocar o veneno onde precisa. Esperamos que com a urgência em combater esse vetor tenhamos melhores condições de realizar nosso trabalho e contribuir com a saúde pública”, pontuou.

Todos os municípios foram convocados a colocarem em prática a campanha de prevenção ao mosquito, com apoio do Governo do Estado, principalmente nas cidades mais endêmicas, com a maior quantidade de proliferação de mosquitos e números de casos de dengue e Zika vírus. Já começou a ser distribuído material informativo publicitário, como folders e cartazes, além de larvicidas. Além disso, serão realizadas atividades de mobilização, como na capital, com ações preventivas em locais de grande concentração de pessoas, como mercados e terminais de integração.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Blog do Walney Batista. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, preconceituosos, ou que incitem o ódio e a violência.
Obrigado por nos acompanhar!