Governo do Maranhão

Governo do Maranhão
Governo do Maranhão

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Governadores pedem moratória e volta da Cultura



Por Magno Martins
Em encontro que acabou, há pouco, em Maceió, nove governadores do Nordeste assinaram uma carta ao presidente interino Michel Temer pedindo a decretação de uma moratória de 12 meses no pagamento dos juros da dívida com a União, pediram autorização para novas cartas de crédito e incluíram, dentre outras reivindicações, a reabertura do Ministério da Cultura, que foi fundido ao de Educação.
Entre os pontos debatidos durante a reunião, os governadores dos nove estados aprovaram uma moratória de um ano no pagamento dos juros das dívidas negociadas com a União. A pauta com as reivindicações será apresentada ao presidente da República, Michel Temer (PMDB). Entre os pontos debatidos os representantes pedem maior tempo para o pagamento das dívidas do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). 
Outro ponto apresentado foi a amortização das dívidas do estados e também soluções para o enfrentamento da crise econômica que atinge o país. O governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), afirmou que a carta explica os pontos defendidos para que seja encontrada uma saída. "Essa carta faz parte do que entendemos como pontos fundamentais para o Brasil retomar o crescimento econômico. É fundamental que seja construída uma solução democrática para a crise atual", afirmou o governador anfitrião. 
Durante o encontro, os secretários da Fazenda de cada estado - que tiveram reunidos pela manhã - foram consultados. Entre as reivindicações, foram incluídas no documento a redução de incentivos fiscais, empréstimos, a elaboração de um programa nacional para a segurança pública e o apoio pela recriação do Ministério da Cultura (MinC). 
"A carta unifica a pauta do NE. Particularmente, torço que os ministros do governo Temer tenham sucesso. Quem deve reconhecer se o processo de impeachment é legal é o STF. Se houver acerto nesse governo, quem ganha é o Brasil com os pontos positivos", disse Renan Filho.