quinta-feira, 5 de abril de 2018

“A gente não se sente só”, diz moradora sobre apoio aos atingidos pelas fortes chuvas no Maranhão





Após as fortes chuvas que caíram, na semana passada, na cidade de Marajá do Sena e causaram uma forte enxurrada que deixou centenas de pessoas desalojadas e desabrigadas, o Governo do Estado continua a encaminhar ajuda para a cidade.

As equipes da Força Estadual de Saúde (Fesma), do Corpo de Bombeiros e da Defasa Civil permanecem realizando levantamento e auxílio aos atingidos, como conta a médica Denise Francisca, da Fesma.

Nós já passamos de casa em casa e estamos levantando as necessidades de cada atingido. As pessoas já começaram a sentir os sintomas de doenças de veiculação hídrica. São náuseas, diarreia, prurido, coceira no corpo e alguns outros sintomas que estamos monitorando e medicando”, diz a médica titular da equipe que atende a cidade de Brejo e foi deslocada para ajudar no atendimento dos atingidos.

O nível da água baixou e as famílias atingidas pela enchente de Marajá do Sena já calculam os prejuízos.

A gente não se sente só. O Governo está dando muito assistência às pessoas que sofreram com a enxurrada. Temos a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e os médicos vindo nos ajudar, batendo nas nossas portas e nos ajudando, isso nos faz sentir mais seguros", conta a dona de casa Inácia Barbosa.

Além das equipes de saúde e salvamento, o Governo do Estado também enviou cestas básicas, galões de água mineral e carros pipa para abastecer os desalojados e desabrigados.

Quem também destaca a atuação da gestão estadual é Franciele da Conceição Lima. “Chegou cesta básica, água e ajuda. Se não fosse o Governo do Estado e o povo prestando solidariedade e ajudando, era pior para nós”, conta a dona de casa.

Estamos fazendo todo o levantamento da situação da população. Estamos identificando quais as novas necessidades e onde a Defesa Civil ainda pode ajudar”, diz o tenente da Defesa Civil Estadual, Paulo Reis.

VIVA/Procon

Outra perda sofrida pelos moradores atingidos pela enxurrada foi a de documentos pessoais, que também já está sendo resolvida com o envio da unidade móvel do VIVA/Procon para a cidade.

São pessoas como Mardone Bezerra, que teria de ir para outro município retirar os novos documentos. “Só o fato de evitar da gente ter que ir para outra cidade, já ajuda muito”, conta.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.