quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Médio Mearim é incluído no PAA Leite




O Governo do Estado ampliou o Programa de Aquisição de Alimentos na modalidade Leite para mais 17 cidades maranhenses. A assinatura de adesão aconteceu nesta quarta-feira (5), durante reunião realizada na Secretaria do Desenvolvimento Social (Sedes), órgão responsável pela execução do PAA Leite no Maranhão.

O programa, que já atende mais de 20 mil pessoas na região dos Cocais, agora atenderá, também, o Médio Mearim e o pólo de Caxias, beneficiando cerca de 15 mil pessoas a mais.

De acordo com o titular da Sedes, Francisco de Oliveira Júnior, o PAA na modalidade Leite pertencia a outra secretaria de Estado, o que dificultou a estruturação e organização do programa. Mas que desde o ano de 2016 o projeto vem sendo executado em 7 municípios.

No início da gestão Flávio Dino tivemos muitas dificuldades para estruturar o programa que pertencia a outro órgão. Criamos um setor específico, prestamos conta com o Governo Federal e demos continuidade no projeto que, até então, estava parado. Começamos com 7 municípios em 2016, mas em abril deste ano lançamos um edital para credenciar os municípios interessados em participar do PAA Leite. E os 17 que atenderam a todas as regras do programa já vão começar a distribuição do produto este mês”, explicou o secretário.

Para o representante da Associação de Produtores de Matões, Igor Moura, aderir ao PAA Leite é garantir um incremento à alimentação de várias famílias que não têm condições de manter o consumo diário de leite e, ainda, contribuir com os produtores locais que irão fornecer o alimento.

O PAA Leite é um benefício de mão dupla. Serão beneficiadas as famílias que irão receber um produto rico em nutrientes importantes tanto para crianças, quanto para adultos. E serão beneficiados os produtores, pois o projeto também incentiva a produção de leite pelos agricultores familiares, fortalecendo o setor produtivo local”, disse Igor.

Pensamento similar tem o representante da Associação dos Produtores de Leite de Codó (Aplec), Clélio Guerra. Para ele, aderir ao PAA Leite é investir na produção local, mas, principalmente, investir na saúde das famílias que serão contempladas.

Segundo o coordenador estadual do PAA Leite, João Batista Fernandes, o programa determina que 50% do produto seja distribuído às famílias inseridas no Cadastro Único (CadÚnico) e a outra parte destinada às entidades da rede socioassistencial que, atualmente, nos 7 municípios que já executam o PAA Leite, somam 105 instituições

Como funciona

O PAA Leite consiste na aquisição de leite de vaca e de cabra, oriundos da produção independente de agricultores familiares, que atendam aos requisitos de controle de qualidade dispostos nas normas vigentes.

Os estados que fazem parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDS), para execução do PAA Leite, contratam organizações da agricultura familiar e/ou laticínios que são responsáveis por recepcionar, coletar, pasteurizar, embalar e transportar o leite para os pontos de distribuição em locais pré-definidos ou diretamente às unidades recebedoras.

As famílias beneficiárias do programa podem receber até 7 (sete) litros de leite por semana ou 14 (quatorze) litros de leite, caso a família possua dois ou mais membros cadastrados como beneficiários consumidores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Blog do Walney Batista. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, preconceituosos, ou que incitem o ódio e a violência.
Obrigado por nos acompanhar!